Trabalhei em empresas globais no decorrer da minha carreira e, neste processo, duas coisas raramente mudam.   Se viaja muito e se conhece um monte de pessoas interessantes.

Uma dessas pessoas foi o ex-Secretário de Estado (dos E.U.A.) Colin Powell, quem recentemente palestrou em um simpósio de TI patrocinado pela Gartner.  Powell ofereceu uma variedade de lições sobre liderança e um comentário em particular me marcou:  “O otimismo perpétuo é um multiplicador de forças”.  O otimismo em si não garante necessariamente o sucesso, ele acrescentou, mas ele lhe dará a energia para continuar tentando.

Esta mensagem é perfeita à medida que iniciamos 2020.  Em sua coluna de final de ano, Andy Kessler, do The Wall Street Journal, compartilhou como a tecnologia mudou o mundo nos últimos dez anos, de formas tanto dramáticas quanto sutis (por exemplo, nesta era de Uber, quando foi a última vez em que você chamou um taxi na rua?). A mensagem subjacente de Kessler é a de que a tecnologia também continuará a ser um “multiplicador de forças” – não apenas na forma com que a usamos em nossas vidas cotidianas – mas na forma através da qual impulsiona o crescimento econômico global.

Vejo isto acontecendo todos os dias.  Milhares de empresas ao redor do mundo se unem à CenturyLink porque desenvolvemos e entregamos soluções de negócios digitais que trazem respostas aos desafios dos clientes corporativos.  É verdade que essas respostas são frequentemente complexas, mas há uma coisa simples que podemos fazer para conquistar sua confiança e isto é escutá-los para saber o que precisam para prosperar.

Aqui está o que nossos clientes estão dizendo em 2020.

  • Os CEOs querem conectividade em seus próprios termos.Os dias de apenas conectar “tubos” entre dependências de empresas já passou há tempos.  Empresas globais dinâmicas operam a um ritmo que teria sido inimaginável até uma década atrás.  Elas exigem conexões rápidas, largura de banda flexível e redes que sejam mais inteligentes do que as pessoas as gerenciando (considerando, claro que sequer tenham uma equipe interna de TI à disposição). Por exemplo, quando ajudamos uma spinoff de uma unidade proprietária de uma empresa de trading a implementar sua rede em quatro países, fornecemos uma plataforma de infraestrutura de TI como serviço totalmente gerenciada que pode ser escalada em até 50% com custos previsíveis.  Igualmente importante, a experiência é integrada, não importa onde a empresa estiver operando.  É por isto que chamamos isto de redes adaptativas.
  • Os CEOs querem que seus dados se movimentem rapidamente.Todos precisam de velocidade, especialmente quando se trata de conteúdo de streaming. Nossa Rede de Entrega de Conteúdo (CDN) faz o streaming de dados através de seis continentes.   Agora, você pode pensar que a maior parte deste conteúdo vem de filmes ou programas de TV, mas uma das fontes mais quentes de streaming atualmente são os video games em tempo real.  Fomos abordados por um líder global em entretenimento interativo que precisava de uma rede global segura com baixa latência que pudesse crescer facilmente à medida que novos jogos e serviços online fossem inseridos no pipeline.  Dissemos: “jogo iniciado” e, uma vez a bordo, o tráfego de CDN deles aumentou 50%.
  • Os CEOs querem poder dormir à noite.Conduzir um negócio global já é desafiador o suficiente sem ter que ficar se preocupando com coisas como “DDoS”, “bots” e “malware”.  Nossa abordagem de segurança baseada em rede monitora mais de 1.2 milhão de ameaças a cada dia e usa análises de big data e inteligência artificial para defender empresas em um mundo repleto de ameaças e “atores maliciosos”.  Este compromisso é uma das razões pelas quais fomos posicionados como visionários no Quadrante Mágico da Gartner para Serviços Gerenciados de Segurança em 2019.

“O progresso é implacável”, escreveu Kessler, e estamos na beira de uma nova era como os estrondosos anos vinte.  E concordo com o otimismo de Powell e a forma com que ele pode estimular esse progresso para atingir alturas indefinidas em 2020.  Mas talvez o otimismo seja melhor resumido por um personagem de um livro de histórias, mais interessado nas nuvens no céu do que naquelas que comportam tantos dados.  “Que dia é hoje”? Winnie the Pooh perguntou uma vez a seu amigo Piglet.  Quando Piglet disse, “hoje”, Pooh ofereceu a resposta perfeita:  “Meu dia favorito”.

Laurinda Pang 

Laurinda Pang é Presidente de Gestão de Contas Internacionais e Globais da CenturyLink.  Ela é responsável pelos principais 200 clientes corporativos globais da empresa e pelos resultados de negócios e operacionais na Ásia Pacífico, América Latina, Europa, Oriente Médio e África.  Anteriormente, Laurinda atuou como Presidente Regional da América do Norte e Ásia Pacífico para a Level 3 Communications, onde era responsável pelos resultados gerais de negócios da região.  Durante sua carreira, ela foi imprescindível para impulsionar iniciativas de negócios significativas e desenvolver estratégias corporativas.

 

Disponible en Español (Espanhol)