A CenturyLink, autodenominada segundo maior provedor de comunicações dos Estados Unidos para clientes corporativos globais, e a Loon, do grupo Alphabet, são parceiras na entrega de acesso à internet em áreas afetadas por terremotos no Peru. As duas adotaram o uso de balões de grande altitude para viabilizar a entrega do serviço. O programa começou em 2017, quando o país latino-americano foi atingido por enchentes e continua agora em áreas que sofrem em função de terremotos.

A infraestrutura envolve a rede de balões da Loon conectados às estações terrestres da empresa e às soluções da CenturyLink. Lembrando que a operadora americana detém a licença experimental de banda-E no Peru para serviços de longa distância da Loon, que ainda estão em fase de testes para o uso comercial.  As bandas 71-76 e 81-86 GHz, conhecidas como “banda-E”, são permitidas mundialmente para comunicações de ponto-a-ponto de ultra alta capacidade.

A ativação recente do serviço foi pensada desde 27 de maio, quando um terremoto de magnitude 8.0 atingiu a região Amazônica no Peru. A pedido do governo peruano, os balões da Loon foram redirecionados para a região, onde chegaram 48 horas depois. Aproveitando os balões Loon, da Alphabet, e o backbone da CenturyLink, as regiões afetadas receberam acesso à internet e capacidade de dados.

Esta é a segunda vez que a internet movida a balões conectou dezenas de milhares de pessoas, provando que os desafios da cobertura sem fio em regiões de desastre podem ser tratados. A primeira, já citada, aconteceu em 2017.