O dia mundial de descontos, conhecido como Black Friday, antes popular apenas nos Estados Unidos, já se estabeleceu no calendário do brasileiro, que espera pela data com o objetivo de encontrar boas oportunidades de compra no varejo, movimentando lojas físicas e online.

No ano passado, a Black Friday atingiu R$ 2,6 bilhões em vendas no Brasil, 23% acima do mesmo período no ano anterior, e superando as expectativas da consultoria Ebit, de 15%. E tanto aumento de desempenho ano após ano, principalmente nos e-commerces, deve-se não apenas às promoções e ofertas de bons preços, mas sobretudo à toda uma estrutura de vendas online disponível em grande escala para uma experiência de compra fácil, rápida e segura.

Você insistiria quantas vezes para comprar algo online? Em outras palavras, caso a página desse erro, você efetuaria a mesma compra novamente? Se sentiria seguro? A verdade é que ninguém mais tem paciência para repetir compras, bem como não quer precisar preencher os dados de pagamento mais de uma vez ou vê-los quebrando na página, algo que alguns anos atrás ainda era comum. E essa nova realidade de uma experiência fluida, rápida e segura é o que também estrutura o crescimento de datas como a Black Friday e Cyber Monday no país.

O fato é que essas datas de alta demanda de venda exigem cada vez mais preparo e disponibilidade de rede das lojas virtuais, e a estrutura de TI é determinante nas operações do comércio eletrônico. Os clientes exigem cada vez mais uma experiência impecável com a rede para realizar o processo de compra, já que a promoção dura apenas 24 horas. É necessário, portanto, que os varejistas invistam em suas estruturas de TI para oferecer operações sem interferências ou interrupções, e que façam também uma estimativa do que se espera em negócios para prever o aumento de capacidade necessário.

As discussões e determinações de proteção de dados também são consideradas nessa escolha, e eleger os fornecedores de TI mais preparados e competentes para executar as operações e hospedar os dados dos clientes é fundamental para uma boa campanha de vendas nas datas de alta demanda do varejo online.

Com crescimento ano após ano em faturamento, em número de lojas online participantes e na credibilidade do evento com o público brasileiro, as campanhas de Black Friday e Cyber Monday ainda podem surpreender e alavancar negócios em todo o país, independente do porte da empresa. De acordo com a BigData Corp., mais de 96% dos e-commerces brasileiros aderiram às campanhas em 2018. Nos grandes e-commerces, que consideram mais de 500 mil acessos por mês, a adesão foi de praticamente 100% na Black Friday, com margem de erro de 1%. Já entre os pequenos, que consideram menos de 10 mil acessos mensais, ela bateu os 90%.

No cenário nacional, deixar o e-commerce fora dessas datas é sinônimo de uma perda significativa. E para quem quer aproveitar o potencial que a Black Friday pode oferecer, investir em uma boa estrutura de TI faz a diferença no sucesso das vendas.

Autor
Rodrigo Oliveira
Diretor de Negócios Data Center, Cloud & Segurança
CenturyLink, Brasil