O avanço das soluções baseadas em Inteligência Artificial marcará as principais tendências estratégicas deste ano, onde também as empresas verão uma aceleração da digitalização e a necessidade de evoluir seus centros de dados.

Um uso mais maciço e intenso da Inteligência Artificial (IA), um aprofundamento da Transformação Digital e a consolidação da evolução do data center serão algumas das tendências tecnológicas gerais mais relevantes para o ano que se inicia, segundo David Iacobucci, diretor de vendas da CenturyLink no Chile.

O executivo sustenta que as previsões de diversos especialistas e consultorias da indústria de TI para o ano que se inicia concordam com o avanço irreversível da digitalização e seu alto impacto aos negócios e à nossa vida cotidiana, através da consolidação de uma série de plataformas e ferramentas que, até pouco tempo, eram consideradas futuristas ou destinadas a elites ou grandes corporações.

Tudo é Inteligente

Iacobucci afirma que 2019 será, sem dúvida, um ano marcado pela IA, já que veremos sua presença em todos os lugares, como nunca antes. “A IA se tornou um elemento determinante no desenvolvimento de diversas ferramentas e sistemas.  Isto faz com que a Gartner[1], por exemplo, a posicione como um componente central daquilo que chama de Rede Digital Inteligente, que engloba tecnologias, conteúdos, dispositivos e serviços que estão transformando o mundo”, afirma.

O executivo explica que isto se deve ao fato de que a IA está permitindo que muitas das promessas da tecnologia se materializem rapidamente, o que tem facilitado a massificação de muitos dispositivos automáticos, como os robôs simbióticos e outros veículos que irão, cada vez mais, tornando-se autônomos, como os drones, os automóveis e inclusive os aviões especiais.  “Estamos imersos em um mundo ciberfísico, onde os objetos tecnológicos estão presentes no mundo real, interagindo com pessoas e cumprindo missões de forma autônoma, ainda que, por enquanto, apenas de forma limitada.  Este conjunto de ‘coisas inteligentes’ é, para a Gartner[2] a tendência estratégica mais destacada para 2019, devido à sua diversificação e massificação”, sentencia.

Mas, a IA também permitirá que a partir deste ano vejamos outras tendências em destaque.  Uma das mais chamativas, segundo a consultoria mencionada, é a que se conhece como analítica aumentada. “Usando o aprendizado automático, a analítica aumentada busca melhorar o conteúdo analítico, automatizando o preparo de dados, a geração de conhecimento e sua visualização, facilitando a tarefa da ciência de dados, ou inclusive eliminando alguns de seus trabalhos.  Em 2020, pelo menos 40% dessas tarefas estarão automatizadas com ferramentas de IA”, comenta Iacobucci.

A incidência dessas ferramentas é tal que está gerando novas tendências estratégicas, como o desenvolvimento de aplicativos impulsionado pela IA.  “Isto permitirá que a ciência de dados trabalhe com desenvolvedores de aplicativos sob padrões e modelos definidos.  A Gartner prevê que em 2022, pelo menos 40 por cento dos novos projetos de desenvolvimento de aplicativos já contarão com desenvolvedores de IA em suas equipes de trabalho”, explica o diretor comercial da CenturyLink Chile.

A IA será tão tangível, acrescenta o executivo, que em 2020 75% dos aplicativos corporativos usarão essas ferramentas, segundo dados da IDC[3]. “Isto se traduzirá também ao fato de que nesta data, 90% dos consumidores já interagirá com bots nos serviços de suporte ao cliente, enquanto a metade dos robôs industriais contará com IA”, detalha.

Mais Transformação

A inteligência artificial também será um catalizador na Transformação Digital, já que este ano, segundo a IDC, 40% das iniciativas deste tipo utilizarão serviços de IA.

É por isto que considera-se que a Transformação Digital terá em 2019 um ano chave para sua consolidação na maioria das empresas, não só nas de maior tamanho. “As estratégias de digitalização são hoje uma realidade nas organizações e a competitividade e sobrevivência dos negócios exige que assim seja.  Este ano veremos que tais estratégias serão aceleradas para aprofundar a inovação.  De fato, segundo dados da IDC, já em 2020 60% das empresas terão uma estratégia que atravesse toda a organização e a implementarão inclusive como núcleo de suas TI”, sustenta Iacobucci.

A consolidação da digitalização também será refletida na importância que irá adquirindo este ano no PIB (Produto Interno Bruto) mundial. “A digitalização será fortalecida este ano, incentivando operações e ofertas baseadas nesta transformação.  Por isso não será de se estranhar que em 2020, 50% do PIB mundial seja ‘digitalizado’, enquanto a valorização das empresas envolverá métricas baseadas em suas plataformas, ecossistemas e dados”, ressalta o executivo.

Por último, Iacobucci afirma que este ano também as organizações começarão a tomar consciência da evolução do data center. “Estima-se que em um futuro próximo, o centro de dados tradicional deixará de existir, pois a maioria das empresas optará por serviços e por virtualizar sua infraestrutura.  Isto será mais tangível em 2025, segundo a Gartner, quando 80% das empresas adotarão esta modalidade. No entanto, é a partir deste ano que os gerentes deverão começar a tomar medidas e estabelecer uma estratégia em direção a essa evolução”, conclui.

[1] https://www.gartner.com/en/newsroom/press-releases/2018-10-15-gartner-identifies-the-top-10-strategic-technology-trends-for-2019

[2] HTTPS://observatorio-ia.com/la-ia-dominara-absolutamente-las-tendencias-tecnologicas-2019-segun-gartner

[3] https://www.ciospain.es/liderazgo/estas-son-las-principales-tendencias-en-infraestructura-y-operaciones-para-2019

 

David Iacobucci
Director Comercial
CenturyLink Chile

Disponible en Español (Espanhol)